10.1.08

à guisa de desejo, quase retorno...


Pensa no Fausto,

Pensa na espessura da queda

(a queda pode ser doce)

Nunca te esqueças de Artaud, dos duplos

Não existe limite entre arte e vida,

de resto é estelionato...

Leia umas páginas do Céline

E se tudo for em vão

Percorra o velhão

Um poema bêbado de Bukowski...

Depois beba uma cerveja no balcão do bar

Não te esquecendo de simular no rosto

O semblante de quem sabe o que está acontecendo.


8 Comments:

Blogger Saulo Ribeiro said...

Em direção à paz, desci fundo, nunca cheguei...
Apontaram-me um delicado dedo em riste, sem palavras.

Vago novamente a estrada noturna,
ainda sem título, texto, secreções... Vago...

Meu ponto final
tem reticências e
Ponto Final...

DUDA BANDIT

5:13 PM  
Blogger J said...

Eu sei que era pra ser profundo, mas eu li tudo isso com um sorriso no canto da boca. Sorriso de empatia, sabe?

4:27 PM  
Blogger Ricardo Soares said...

realmente celine é tudo de bom...
abs
ricardo

8:02 PM  
Blogger Celine said...

Não me esqueço desse semblante.
=)

6:59 AM  
Blogger  said...

"não existe limite entra a arte e a vida, de resto é estelionato"

Muito bom!

4:15 AM  
Blogger SAMANTHA ABREU said...

Há!
Bom demais...
o segredo da vida, nessa linha indivisória com a arte, está nas entrelinhas de cada um desses desgraçados.
Desgraçados que enchem nossas vidas de graças.

Muito bom, querido!
Um beijO!

1:41 PM  
Blogger Thiago Luz Raft said...

Saulim é pura poesia...
Só pra tu saberes que passei porraqui.
beijo.

1:30 PM  
Blogger Polêmica said...

o teu blog é um dos mais legais e interessantes que já vi...parabéns!!!

9:11 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home