20.9.07

"IL"...


Eu não falo em paisagens, antes falo de acordar junto, com toda a delicadeza e horror provenientes da entrega – o que por si, uma vez que estou sozinho e nada me resta senão lembrar, me vem à cabeça, imagem vigorosa, teimosa, contumaz, lusco-fusco no horizonte, fragmentos da madrugada... nesta noite tinha a chuva, barulho da enxurrada na escada, os gemidos e a confusão do corpo, surpresa de detalhes descobertos depois de doze revelações, dedo deslizando em pele lisa, perfume natural, narina em brasa... mas os malditos neurônios não se calaram um minuto.

Foi nesta atmosfera caótica que deixei "IL" radiante na porta de um táxi ao amanhecer, ela me deu um beijo no rosto e fechou o vidro enquanto apontava o caminho para o motorista, articulava os lábios e eu não ouvia o som, foi quando me lembrei de filmes mudos e uma adolescência hedionda. Tenho descansado meu Jack Daniels, uma vez que uísque remete a outra atmosfera, um caos que se ressente de ser caos; destarte, no dia em que nos conhecemos, eu bebia um vinho de tanino suave, taça pousada e nossa conversa circulando a mesa, vozes em dueto... eu dizia que tinha saído de dois relacionamentos conturbados, ela me dizia que vivia no inferno. Simpatizarmos era um imperativo, jamais uma vontade...

Os imperativos acabam em cama, é um fato. Mas os fatos se repetiram por seis semanas e doze trepadas. Na quinta vez ela me confidenciou que adorava dormir semi-nua, protegida apenas por calcinhas minúsculas, mas o marido proibia. Queria "IL" de blusa grande, saia e meias, só a tocava nestas ocasiões, sem retirar nenhuma das peças... eu não perguntei o motivo, nunca simpatizei nem antipatizei com pessoas que possuem fantasias sexuais, eu sou até capaz, por educação, de ajudar a realizar uma ou outra de menor potencial ofensivo, mas acredito que seja coisa de gente média com pouquíssimo tesão e atração pelo corpo em si, coisa da manada, Paulo Maluf deve ter fantasias sexuais parecidas com as de Marta Suplicy... "IL" não tinha fantasias sexuais, apenas queria ser fodida decentemente, ao mesmo tempo eu andava em vias de recuperação de minha libido perdida em curtos-circuitos sentimentais recentes... ela teve paciência, compreensão e doçura... por isso sou grato a "IL", mas dormir junto nunca fez parte de meus planos, muito menos em minha cama.

O marido de "IL" viajou na sexta e só volta no final da tarde deste domingo, eis o trilho que a trouxe esta noite. Descobri quando perguntei se ela não ia embora, e doce, musical, ela explicava enquanto pedia acolhida com os olhos... dizia que ia ficar sozinha em casa, que Ele (sempre se referia a ele como Ele) tinha ido para um congresso religioso, citou uma palavra que lembrava construção civil, e depois lamentou-se que era trocada por reuniões, representações, enquanto a imagem do demônio era associada a ela por Ele e por todos os membros da famigerada denominação.

Pouco compreendo o quadrangulares e os pentencostais da vida, nem faço esforço... naquela hora eu só tinha uma coisa a fazer, foi quando enlacei "IL" nos braços e a levei de volta à cama, tentando buscar na essência de sua flor a força da terra, a genealogia do divino.

"IL" amanheceu em meus braços, pediu um copo d'áqua e disse que precisava ir, chamou o táxi e descemos... o carro virou a esquina e caminhei pela rua ainda úmida enquanto o sol ameaçava despontar, eu desviava das poças, mão no bolso, em direção à padaria para o primeiro café do dia, meio que sorridente, meio que melancólico, duas certezas pairavam, a da poesia do momento ao lado do conforto da ultima vez, além de reflexões acerca de quantas vezes eu ainda repetiria este ritual com outras mulheres, um gato atravessou a rua e pulou o muro, baratas se escondiam nos bueiros que eu saltava, e depois moscas no balcão... a vida, verdade irrefutável, fluía, fluía... tive ímpeto de me matricular em um curso de yoga, jogar I ching, transar meu lado transcedental... mas o café chegou repelindo qualquer capricho de metafísica, não é hoje que vou levitar.

18 Comments:

Blogger Hanne Mendes said...

Bom ler algo seu aqui, depois de tanto tempo. Vc sabe, adimiro muito a sua literatura.

Bons ventos o trazem de volta à ativa, tomara q prosigam.

Abraço, Bandit
Bj, Sau.

8:35 PM  
Blogger Beta said...

Você sabe buscar o tesão do momento através das palavras. É isso o que me prende ao seu blog.

Beijos.

11:20 AM  
Blogger Maria Cecília said...

Sabe o que as vezes penso quando te leio?....que afinal existem diferenças entre o pensar e o sentir feminino e o pensar e o sentir masculino, mas que no fundo todos os caminhos levam a buscas que são mesmo é humanas.
Penso ainda se não são todas essas suas Mulheres vários pedaços e faces de uma única...
Bj para vc
Cecília Murgel

7:26 PM  
Anonymous Isabelle said...

Uma grande volta...muito bem!

8:21 PM  
Blogger Jorge Ferreira said...

tava esperando essa volta!!!
viva!!

9:39 PM  
Blogger Tatiani said...

Este comentário foi removido pelo autor.

2:30 PM  
Blogger Tatiani said...

maravilhoso..
complicado tecer maiores comentários sobre o que uma mente dessas transcreveu, imaginou ou criou..

então, é isso.
gostei muito!

2:32 PM  
Blogger ilhandarilha said...

Nesse terreno ao mesmo tempo árido e pantonoso do desejo você caminha descompassado, e nos faz caminhar junto.
Grande!

4:49 PM  
Anonymous Mississipi said...

lembrei-me de um poema de Manuel Bandeira para um certo Jaime Ovalle ou coisa assim... e quem é Jaime Ovalle ou coisa assim? sei lá, mas o poema é bonito.

5:33 PM  
Blogger Sara said...

Eita!!Adoro a forma como vc explora todas as reações que ocorre num momento tão repentino.Mas as vezes parece tão indiferente, tão sem saco.Como se algumas coisas que aparentam ter um valor inegável não devia ser tão aprazível, tão bem vindo.Gosto disso, valorizo isso.

Bjão.

6:34 PM  
Blogger Soraya Martinnelly said...

Putz. Eu ando em vias de recuperação de miha libido perdida em curtos-circuitos sentimetais recentes (isto pode ser um segredo entre nós). Gosto de curtos-circuitos sentimentais. Adoro que continue escrevendo coisas com as quais me identifico. Aguardo.

5:09 AM  
Blogger Duda Bandit said...

Galera, valeu a força, voltei,mas meu blog continua bissexto... tenho um coração que consome tanta energia que falta disposição para a palavra...

Hanne, tanta coisa bonita entre a gente, tanta... nós dois nos conhecemos em nossos textos, e nos descobrimos melhores na vida, é aí que a literatura passa respando na existãncia. é o que penso. beijo.

Beta, as palvras tem ser agrupadas buscando a tesão, no sentido mais geral que isso possa ter. beijo.

Cecília, profunda conhecedora da alma, tem me investigado? tá passando perto. beijo.

Isabelle, muito agradecido, meu anjo. beijos.

Jorge, hermano de idas e vindas... sempre lisonjeado com tua presença.

Tatiani, sou uma mente confusa, mas profundamente honesta... beijo.

Mississipi, a gente tem um estilo diferente de escrever, eu e vc... confesso que como leitor gosto mais do seu, senhor Fante turbinado. conheço o poema, fala de café e melancolia no abrigo da chuva. minha fase bandeira passou, mas deixou lembranças... abração.

Sara, é a forma que vejo a vida; para além do bem e do mal.

Soraya, deve ser porque frequentamos os mesmos lugares, seja na Europa, seja na lama.


ABRAÇO PARA TODOS.

2:10 PM  
Blogger Paulo Bono said...

Caro Bandit,
pode demorar, mas volta e meia apareça por aí, com mais desses seus textos. são algumas das melhores linhas dessa rede.
grande abraço

8:32 AM  
Anonymous célia musilli said...

Belíssimo texto, de um erotismo envolvente... Grande beijo.

3:48 PM  
Blogger Hanne Mendes said...

Que greve é essa, Bandit?
Venha aqui, vez ou outra, ao menos para agraciar-nos com a sua criatividade...

Beijo

10:23 AM  
Anonymous Anônimo said...

IL???
Seria Ilma Leme?

você anda saindo com imha mulher enquanto vou orar pela humanidade...
em nome de Deus, eu vou acabar com isso!!!!

1:33 PM  
Blogger Reginaldo said...

Muito maneiro,quando tiver mais me manda...Bem escrito,por isso prendeu minha leitura.Nao costumo ler nada do q me mandam,mas,como era vc...Valeu cara!!!

9:39 AM  
Blogger Escritora said...

Preciso urgentemente de um livro seu. Este formato de pixels não combina com o sagrado talento de seus textos. Mexa-se!

4:47 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home