14.5.07

uma tempestade ameaça...

Uma tempestade ameaça a ilha, ventos hediondos embalam minha solidão esta noite. O transito está congestionado, Monk no CD do carro, o limpador de pára brisa balança escorraçando gotículas suaves, prenúncio do aguaceiro... penso na beleza de estar no trânsito ouvindo bebop em meio ao chuvisco, não deixo de sorrir na composição do quadro... uma hora assim... chego em casa, uma dose de uísque e agora Sérgio Sampaio está cantando suas dores de amor no som da sala, compreendo cada palavra... a chuva parou um pouco, mas sei que retoma vigor para investir mais forte, quer cair sobre meu jardim despetalando minhas rosas, o que seria uma coisa muito triste se eu realmente tivesse um jardim e nele cultivasse coisas assim... Hibari planejou morar numa casa comigo e plantar canteiros de praguinhas silvestres, isso mesmo, fizemos planos de sair à cata delas nos arredores da ilha e nas cidades rurais próximas, me senti patético de novo, “olha, amor, tem uma com florzinhas amarelas”... minha janela é espancada a cada rajada do temporal anunciado... Chegou, acredito, a hora de tomar uma decisão importante na vida: nada de jardim, seja de rosas, seja de pragas. Segundo, tive mais uma certeza: Hibari, à revelia, plantou a porra das pragas foi na minha vida... depois resolvi tomar mais uma decisão... qualquer que fosse a sentença, nada de apelação, ia cumprir a penitência o mais rápido possível, ainda que implicasse na morte meus paradoxos e implicâncias gratuitas... a chuva veio forte, um aguaceiro.


****

Se eu fosse um advogado brilhante, vegetariano e praticante de Wind Surf, puxasse um fuminho discreto e namorasse a Jeska, menina descolada que malha na Vitória Sport, talvez eu fugisse de um cotidiano torpe e noites confusas... Faltou, em termos objetivos, uma educação geradora, fui reprovado em português e matemática, duas vezes, faltou ainda, de minha parte agora, vigor para encarar um futuro de terninho Hugo Boss, camisa Prada, gravata Armani e o papo da Jeska... a preguiça consumiu meus, por assim dizer, "melhores dias"... eu não leio livros técnicos e acho que deveriam proibir Marcos Rey no ensino fundamental, pouparia o leitor deste tipo de confissão constrangedora e absolutamente dispensável... um dia, é uma esperança, o mundo será tomado por gente brilhante e vegetariana que usa Hugo Boss e namora a Jeska... Nesse dia quero que meu cinismo seja substituído pelo ódio, assim posso substituir o sarcasmo por coisas mais úteis, a exemplo das bombas palestinas e fuzis AR15.



(trecho de "HH, uma novelinha escorada"

3 Comments:

Blogger Linda Graal said...

Este comentário foi removido pelo autor.

6:48 PM  
Blogger Linda Graal said...

Tua escritura é tão direta e surpreendentemente irônica que perco a medida ao escrever-te...e uma revolta grande e sempre bem-vinda!!
Não sei como, mas agradeço-te o comentário sobre o meu...
Amplexos!

6:49 PM  
Anonymous Marília Paz said...

adoro vir aqui! adoro ler-te!
abraços.

;*

4:17 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home