4.5.07

HH

Preciso usar alguns tópicos para entender como Hibari entrou na minha vida: a) ela andava com graça, vestia um vestido lindo e um chapéu de palha... b) eu estava em um boteco mandando ver na manguaça e não notei que era uma mulher perigosa... c) transei com ela em minha cama na segunda vez, muita tesão e pouca grana para o motel... d) ela não foi embora depois e cismou de fazer macarrão... e) eu gostei... f) tinha descendência oriental e eu estava fascinado com a obra de Yukio Mishima na época... g) despertou em mim uma doçura que eu não tinha há quase uma década...

Podia estender a lista um pouco mais, mas acredito que o exposto seja suficiente. Como se pode ver não premeditei estar com Hibari, quando vi ela já vivia comigo.



(trecho de "HH, uma novelinha escorada")

5 Comments:

Anonymous cris said...

gostei do nome da moça... e ela me fez lembrar uma tal de Kori (que a Lygia Fagundes Telles criou).

pouca grana para o motel... cena comum!

bjo.

11:06 AM  
Blogger Julio Cesar Corrêa said...

Me deu vontade de ler o resto de HH. O que seria uma novela escorada?
gd ab

12:01 PM  
Anonymous Lidiane said...

Gostei muito disso aqui ó:
"Como se pode ver não premeditei estar com Hibari, quando vi ela já vivia comigo".

4:41 PM  
Blogger Duda Bandit said...

brigadão, Cris... Hibari significa cotovia em japonês, um pássaro cheio de simbologia...


valeu, JCC, a novelinha está escorada porque é minha primeira vez, não sei fazer isso ainda, então fica meio torta, precisando de apoio para não cair.

um beijão, Lidiane... essas são as piores, eu as chamo de mulher giral, a gente vai livre pela correnteza e de repente entra na delas sem achar saída...

5:31 PM  
Anonymous Anônimo said...

grande bosta!

2:05 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home